^ Voltar ao topo
(75) 3623-0940

Combate à Dengue e ao Aedes Aegypti

Combate à Dengue e ao Aedes Aegypti

Combater e prevenir a proliferação do mosquito Aedes Aegypti é uma tarefa que conta com a participação e responsabilidade dos órgãos públicos e de toda a população.

O combate ao mosquito transmissor, acontece por meio da eliminação dos criadouros, ou seja, lugares onde é possível encontrar os focos: água parada, limpa ou parcialmente poluída. O governo brasileiro têm investido em educar a população, pois devido ao período de chuvas e ao calor, a proliferação acontece com mais frequência no verão.

Mas é preciso ficar atento aos possíveis focos o ano inteiro, pois além de ser o principal transmissor da dengue o Aedes Aegypti, também é o principal causador da Zika, Chikungunya e febre amarela.

Como combater a dengue?

O combate ao mosquito transmissor da dengue deve ser feito em todas as épocas do ano, com atenção redobrada ao período chuvoso e aos lugares com maior probabilidade de acumular água parada.

Evite o acúmulo de água

O mosquito transmissor, deposita os seus ovos em água limpa, mas não necessariamente essa água é potável, pois o principal local de posicionamento desses focos são pneus velhos e garrafas paradas. Por isso é importante o descarte e o armazenamento adequado desses e outros objetos que estão propensos à formação de poças. Também é necessário que a vasilha de água do seu bicho de estimação seja lavada regularmente, além de manter as tampas de caixas d'água e cisternas fechadas.

Use areia nos vasos de plantas

O uso de pratos abaixo dos vasos de plantas é uma prática que pode gerar acúmulo de água. Existem alternativas que ajudam a evitar os focos da dengue, como: eliminar o prato, lavá-lo diariamente ou colocar areia. A areia no prato dos vasos, ajuda a conservar a umidade, mas sem a formação de poças, evitando que ali se torne um criadouro de mosquitos.

Descarte seu lixo de forma adequada

Para uma profilaxia ainda mais eficiente e evitar o surgimento de focos ainda maiores e até enchentes, o descarte do seu lixo deve ser feito de forma adequada, para que não seja despejado em valas, valetas, margens de córregos e riachos. No lixo doméstico, é aconselhado deixar as latas de lixo sempre bem tampadas.

Limpe as calhas

Caixas d'água são os criadouros mais produtivos para o Aedes Aegypti, no entanto as larvas do mosquito também podem ser encontradas na água que se acumula em calhas sujas ou entupidas. Para evitar essas pequenas poças de água parada, as calhas e canos que dão vazão à água da chuva devem ser checados todos os meses, evitando entupimentos com folhas e outros detritos que impedem o fluxo da água.

Tipos de dengue e sintomas

Existe, no Brasil, quatro tipos de dengue identificados e que são capazes de se manifestar com níveis de gravidade diferente. É importante lembrar que uma pessoa que teve contato com qualquer sorotipo de dengue, desenvolve imunidade a ele, mas caso contraia a doença por um sorotipo diferente, ela se manifestará de forma mais grave do que na primeira vez.
Os quatro tipos de dengue apresentados são:

Assintomática

Na dengue assintomática, a doença apresenta sintomas mas não se manifesta como de costume. Tanto que, esses sintomas podem ser confundidos apenas um mal-estar. A pessoa está contaminada, mas não desconfia que está com dengue.

Dengue Clássica

No caso da dengue clássica, o primeiro sintoma a se manifestar é a febre alta (39° a 40°C) e de início inesperado, pode ser seguida por dor de cabeça ou nos olhos, cansaço e dores musculares/ósseas, falta de apetite, náuseas, vômitos e erupções na pele. A doença pode ter uma duração de até sete dias e o período de recuperação pode ter uma grande debilitação física, podendo se estender por semanas.

Dengue Hemorrágica

A dengue hemorrágica é conhecida como a forma mais grave da doença, podendo levar até à morte. Nesse caso, o tratamento para a doença deve ser realizado em um hospital, com o acompanhado de um médico. Os sintomas apresentados, são parecidos com o da dengue clássica, só que ao chegar no terceiro dia, o doente apresenta sangramentos, principalmente nas regiões da gengiva e na pele, além de vômitos fortes e dor abdominal intensa.

Febre Hemorrágica da Dengue ou Síndrome do Choque da Dengue

Essa manifestação da doença, pode ser considerada a mais grave e rara da dengue hemorrágica, onde apresenta palidez, hipotermia, alterações no nível de consciência, alterações circulatórias, pressão baixa e taquicardia, podendo levar à morte.

Tratamentos para a dengue

Não existe nenhum tratamento específico contra o vírus da dengue que mate o virus ou cure o infectado. A única forma de tratar essa doença é fazer o uso de medicamentos para os sintomas apresentados, ou seja, realizar todo um tratamento sintomático.

É importante lembrar de tomar muito líquido durante o período em que a doença se manifesta, pois assim você pode evitar a desidratação. Caso sejam apresentadas dores e febre, um medicamento antitérmico, pode ser receitado pelo médico responsável pelo seu acompanhamento.

Em alguns casos, pode ocorrer da internação para hidratação endovenosa ser feita, assim como nos casos graves o paciente pode ser encaminhado para a unidade de terapia intensiva.

Pacientes que estão infectados ou apenas com suspeita de dengue devem evitar medicamentos à base de ácido acetilsalicílico, aspirina, ou que contenham alguma substância associada. Por possuírem efeitos anticoagulante, esses medicamentos podem causar sangramentos.

Outros anti-inflamatórios como diclofenaco e ibuprofeno devem ser evitados, pois podem aumentar o risco de sangramentos.

O paracetamol e a dipirona são os medicamentos usados geralmente para o alívio dos sintomas de dor e febre, sendo recomendados tanto pelo Ministério da Saúde, como pela Organização Mundial da Saúde.

Acima de qualquer suspeita, a automedicação não deve ser feita. Para confirmar ou descartar a possibilidade de estar com dengue, exames devem ser feitos e com o acompanhamento de médicos. Apenas o médico indicado poderá recomendar os remédios necessários para o tratamento dos sintomas.

O Aedes Aegypti deve ser combatido durante todo o ano, só assim podemos diminuir os casos de dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela no Brasil. Todo o combate deve ser feito com esforços da população e governo, priorizando a saúde pública.

O que achou das nossas dicas? Curta, compartilhe e deixe sua sugestão ou comentário. E não se esqueça de assinar a nossa newsletter, seu feedback é muito importante para nós. Até a próxima!

Atendimento

Av. Sampaio, Nº 296, Centro
Feira de Santana - BA - 44125-280

(75) 3623-0940 / 3485-1210

paxbahia@paxbahia.com.br

Clique para ampliar